Meus Seguidores

quarta-feira, junho 01, 2011

A Minha Doença


Querido diário, eu estou com um problema sério que já me dominou faz tempo, é tão grande, tão forte, que eu não consigo lutá-lo contra e vencer. É uma doença que parece não ter cura.



A minha doença me faz dormir muito. Sinto muito, muito sono. Quanto mais eu durmo, mais quero dormir. Enquanto os médicos dizem que o ideal para uma pessoa dormir é 8 horas, e enquanto que pessoas que estudam e trabalham dormem 5 horas, eu acabo dormindo 11 ou 12 horas por dia. É muito, muito sono.


O grande perigo é quando deito no sofá ou sento pra relaxar, corro o perigo de ficar por lá mesmo, e nunca mais me levantar. É como se algo tivesse domínio sobre o meu próprio corpo, eu não consigo dominar, eu não consigo.


Não, a minha doença não é falta do que fazer. Eu tenho muitas atividades, muitas cobranças, metas a realizar. Mas a minha vontade é deixar tudo pro ar. É um cansaço permanente, quanto mais descanso, mais cansada eu fico. E quando vejo tudo que tenho pra fazer, me dá um desânimo, e aí eu nem começo.


Fazer trabalhos, estudar para as provas da faculdade, faço tudo de última hora e não sai nada que preste. Passou esse tempo em que eu não estudava nada e que me saía bem nas provas, de fato, agora é preciso estudar.


E o mais estranho de tudo é que eu não consigo estudar sem ser de última hora. Quando ainda resta muito tempo, eu relaxo, penso que ainda é cedo, que não precisa tanto. Mas quando restam poucas horas para execução da prova, a disposição vem estimulada pela pressão e pelo medo do mau resultado, e aí sim, eu estudo, mas já não resta muito tempo.


A minha doença tira toda a minha produtividade. Sem exageros e vaidade, eu sou uma pessoa muito inteligente, sei que a minha capacidade vai além do céu. Mas a minha doença me faz deixar de aprender muita coisa, de fazer coisas para o meu crescimento profissional e pessoal também. É como se eu já estivesse morta, não faço nada, não sei nada, não sou nada.


A minha doença toma todo o meu tempo. De fato, eu não tenho tempo pra nada mais, nem pra estudar, nem pra me divertir, trabalho como uma operária do século XX para a minha doença, e o pior de tudo, sem remuneração nenhuma.


A minha doença me faz perder as metas que eu tenho de longo prazo. Metas como me formar, ser aprovada num concurso público, conseguir um bom emprego, ter minha independência financeira. Eu sei que a minha doença deixa essas metas cada vez mais distante, cada vez mais impossível.


Falta-me energia, disposição e motivação pra tudo. O meu entusiasmo é deitar numa cama e dormir. Mas acredite, diário, isso é muito triste. É triste ver a vida passar e você continuar no mesmo lugar, em ver a sua capacidade jogada no sofá. E sei que isso só depende de mim para modificar, mas eu não tenho mais forças, eu não consigo dominar.


Eu estou doente, diário, e você sabe qual é a minha doença, mas é um segredo nosso. Vamos deixar, que os leitores tentem adivinhar que doença é essa.








14 comentários:

  1. aiii que sentimental o post =) lindo blog!!

    ResponderExcluir
  2. Olá, gostei da sinceridade que expôs sobre o meu blog. Meus textos são pensamentos, são devaneios da mente confusa de uma jovem apaixonada. Então exponho tudo que penso as vezes ou vejo acontecer. E no meu blog você não encontrará só textos românticos mas também desabafos e criticas.

    Atenciosamente,


    Bruna Menezes

    ResponderExcluir
  3. você mesma que escreveu? gostei, muito bom

    ResponderExcluir
  4. fui eu sim, que bom que gostou. volte sempre que tiver vontade!


    atenciosamente
    A Garota de Várias Faces

    ResponderExcluir
  5. Dias de inverno normalmente eu tenho a sua doença tb!! hehe Adorei o texto!!! :)

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. tem dia que estou com tanto, tanto, mas tanto sono que se piscar eu sonho.
    durmo de pé se for preciso.
    é nóis que dorme.

    ResponderExcluir
  8. - Nossa fiquei até sem palavras...eu poderia dizer que a sua doença é tristeza,mas estaria julgando teus sentimentos,mas acredite eu já mim sentir assim porisso que gosto tanto do teu blog tuas fazes um dia já foram ou são minhas fazes!
    Parabéns pelo blog
    mas insisto quero ve outro teplante aqui RUM !Rsrs
    Desculpa !

    ResponderExcluir
  9. DESDE A SUA ÚLTIMA POSTAGEM FALANDO SOBRE A MINHA PESSOA, EU SENTI QUE VC QUER SENTAR E CONVERSAR COM O LOBISOMEM.

    ResponderExcluir
  10. ESTUDO NUMA UNIVERSIDADE FEDERAL DAQUI DE SERGIPE.

    ResponderExcluir
  11. Estou lendo esse post depois de ter lido o mais recente e, por isso, o elemento surpresa pra mim já se perdeu, mas não tem problema não. Acho que tivesse lida na ``ordem correta`` não faria nenhum pré-julgamento sobre sua doença achando que é preguiça e muito menos falta do que fazer. Gostaria de sugerir algo para ajudar como buscar uma terapia pois falar com alguém, um profissional, ajuda muito. Tem também grupos de ajuda mútua anônimos onde você pode encontrar pessoas que também já deve passado por isso e que estão num processo de superação ou enfrentamento inicial da doença.

    ResponderExcluir
  12. Flávia Hendrel19/06/2011 17:21

    Oiii.. estou desesperada tambéem, tenho essa mesma doença e PRECISOOO PRECISOO falar com alguém que tbm tenha isso, compartilhar sentimentos e inseguranças.. Tenho tudo isso que vc descreveu, sem tirar nem por... POR FAVOR entre em contato comigo: flavia.hendrel@hotmail.com
    POR FAVOR, não vamos perder a chance de compartilhar os estragos q essa doença causa, e, quem sabe, achar uma saída (apesar de eu tbm nao ter mais controle sobre mim!) Entre em contato!!! Obrigada!
    bjo

    ResponderExcluir
  13. Eu tambem sinto a mesma coisa que voce. Entre em contato comigo ale.crepusculo@hotmail.com. Beijos alessandra

    ResponderExcluir

Eu retribuo comentários BONS, se você comentar porcaria aqui, eu comento porcaria no seu blog também. Deixem o link para eu poder retribuir. Beijo a todos, e expressem sua opinião sem receios.